Basílica de Superga


Basílica de Superga
Basílica de Superga

No dia seguinte à nossa chegada em Turim, aproveitamos o clima ameno e saímos para conhecer um pouco a cidade. Como estávamos de carro, decidimos ir até um ponto turístico bastante conhecido e recomendado: a Basílica de Superga.  Assim como em Paris existe a Basílica Sacré-Coeur no alto de Montmartre, em Turim temos a Basílica de Superga. Localizada no monte homônimo a ela, a Basílica foi construída naquele local em virtude de uma promessa para salvar a cidade durante o Assedio di Torino.

História da Basílica

Em 1706, Turim estava para ser invadida pelas tropas francesas de Luís XIV, quando o Duque Vittorio Amedeo II e seu sobrinho, Príncipe Eugênio di Savoia-Soisson, que lideravam o exército piemontês, vão até o monte de Superga para terem uma visão privilegiada do campo de batalha. Ali havia uma pequena igreja e o Duque prometeu à Nossa Senhora que se vencesse a batalha iria construir naquele local uma grande igreja em homenagem à Virgem. Depois de uma dura batalha, em 07 de setembro de 1706, o exército piemontês finalmente expulsa os franceses e liberta a cidade. Para cumprir o prometido, o Duque Vittorio Amedeo, confia ao arquiteto da corte Fillipo Juvarra a tarefa de erguer uma igreja no topo do Superga em homenagem à Nossa Senhora. A construção iniciou em 1717 e a Basílica foi inaugurada em 1731.

Basílica de Superga
Altar Principal

A Basílica

A Basílica é um imponente edifício de estilo barroco que possui 51 metros de comprimento e 75 de altura. Por estar a 672 m de altitude, pode ser observada em vários pontos da cidade e é belíssima. Por dentro, a Basílica possui 6 capelas, 4 altares menores e um altar principal, decorado com esculturas em mármore de carrara. Na Capella del Voto, no interior da igreja, conserva-se a estátua em madeira da Madonna delle Grazie del Seicento, que é a mesma para a qual o Duque Vittorio Amedeo fez sua promessa. A cúpula da Basílica é inspirada na obra romana de Francesco Borromini e é possível visitá-la também.

Cúpula
Cupola Juvarriana

O que Visitar

No subterrâneo da Basílica, encontra-se a cripta onde estão as Tumbas Reais, ou seja, o mausoléu da família Savóia. Idealizada por Vittorio Amedeo II, foi construída durante o reinado do seu neto,  Vittorio Amedeo III, com projeto do arquiteto Francesco Martinez, neto de Filippo Juvarra, e levou 4 anos para ficar pronta (1774-1778). Estão sepultados na cripta 62 membros da Casa de Savóia. A visita guiada à cripta dura 45 minutos e é uma verdadeira aula de história.

Além das tumbas reais, é possível também visitar o Apartamento Real, que fazia parte do projeto inicial de Filippo Juvarra e era um desejo de Vittorio Amedeo II, que gostaria de possuir um local para recolher-se nos últimos anos de sua vida. O projeto previa a construção de um edifício de 3 andares, junto ao convento que já existia ali, porém não chegou a ser executado e acabou arquivado. Com o intuito de abrigar a família real quando em visita à Basílica, alguns quartos do primeiro andar do convento foram destinados para compor o Apartamento Real, além da Sala do Rei.

A visita aos museus tem muitas escadas e não tem elevador, então para quem vai com criança pequena é preciso deixar o carrinho estacionado na entrada e carregar o bebê no colo.

Tragédia de Superga

Mausoleo Grande Torino
Homenagem ao Grande Torino

Um outro ponto de interesse para quem visita a Basílica de Superga é o “Mausoleo del Grande Torino”, ou seja, o local onde aconteceu o acidente que vitimou toda a equipe do Torino em 4 de maio 1949, a tragédia de Superga. Para quem não conhece a história, a equipe do Torino sofreu um acidente de avião, assim como a da Chapecoense. No dia em que visitamos a Basílica muitos torcedores da Torino estavam lá prestando suas homenagens, é um ponto de peregrinação para a torcida do time e é bastante emocionante.

Informações Práticas:

Basílica de Superga

site:http://www.basilicadisuperga.com/

Horário:

Verão  (01/03 a 31/10) – 2ª a Domingo: 10:00 – 13.30 e 14.30 – 19:00 (último ingresso 18:15)

Fechado nas 4ªas feiras (exceto para visitas de grupos agendados)

Inverno  (01/11 a 31/01) – Sábados, Domingos e Feriados: 10:00 – 13.30 e 14.30 – 18:00 (último ingresso 17:15)

Inverno (01/02 a 29/02) – Domingos e Feriados:  10:00 – 13.30 e 14.30 – 18:00 (último ingresso 17:15)

Em caso de mau tempo, a abertura não será garantida.

Preços:

Ingresso Inteiro:  € 5,00 ( Tumba Real ou Apartamento) e € 3,00 (Cupula)

Ingresso Reduzido:  € 4,00 ( Tumba Real ou Apartamento) e € 2,00 (Cupula)

(Adquirindo o ingresso para a Tumba ou para o Apartamento, poderá adquirir o ingresso reduzido para o outro espaço. Grupos, de no mínimo 20 pessoas, também tem direito ao ingresso reduzido, além de outros casos a ver no site).

Entrada Gratuita: Crianças até 12 anos, guias turísticos, portadores do Cartão To + Piemonte, acompanhante de grupos de no mínimo 20 pessoas, portadores de deficiência.

Como Chegar:

Ônibus : Piazza Castello – Linha 15 direção Sassi

               Piazza Vittorio – Linha 61 ou 68 direção Sassi

Na estação Sassi, pegar o Tranvia (bonde) para Dentiera e após um breve percurso a pé está a Basílica.

Da Estação Dora: linha 77 direção C.so Belgio, pegar na C.so Belgio a linha 15 ou 68.
Da Estação Porta Susa: linha 13 direção Piazza Castello, pegar na Piazza Castello linha 61 ou 15 direção Sassi.
Da Estação Porta Nuova: linha 61 ou 68 direção Sassi.

Carro:

Do Centro da cidade: Vire à esquerda na Via Po, até o final da rua. Na Piazza Gran Madre vire à esquerda para C.so Casale. Siga em frente e, na parte inferior do curso, vire à direita, na altura da Estrada Municipal Superga. Dirija ao longo da estrada montanhosa que conduz à basílica.

Do Aeroporto: Pegue a estrada Torino Caselle – Svincolo Caselle, Tangencial Norte – Svincolo Falchera, Raccordo SS 11 – Svincolo Abbadia di Stura, vire à esquerda para a Estrada Della Cebrosa, Estrada Sétimo – Lungo Stura Lazio, Corso Casale, vire à direita na Estrada Municipal Superga. Dirija ao longo da estrada montanhosa que conduz à basílica.

Para maiores informações sobre agendamento de visitas e outros meios para se chegar à Basílica, clique aqui

2 Comentários

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. A Tragédia de Superga - O dia em que pararam o Grande Torino – In Turim
  2. Vistas de Turim: Onde ir para ver a cidade de cima – InTurim

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*