O Vôo – Guarulhos x Milão num 787 Dreamliner


mapa_voo.png
Imagem da rota de vôo – Cortesia do Google Maps.

A experiência de viagem foi boa. O avião estava cheio, mas devo admitir que a Latam me surpreendeu. Já havia voado de Ibéria em 2008 (uma das experiências mais terríveis na minha vida), Air France, Swiss e KLM. Nem preciso dizer que a KLM foi, disparada, a minha melhor experiência. Já vou avisando que não tem jabá de ninguém neste post. Até por que, sinceramente, acho que ninguem pagaria por isso.

Quem me conhece sabe que estou com vários quilos a mais e, para alguém do meu tamanho, viajar de classe econômica é sempre um aperto, com o perdão do trocadilho infame.

Mas neste modelo de aeronave, o assento não aperta nas laterais. Creio que só não aconteceu isso comigo na KLM. E agora na Latam.

A dica que dou aqui é para quem viaja sozinho em aviões com 3 fileiras de 3 poltronas, duas nas laterais do avião e uma no meio (a mesma lógica pode ser aplicada a outros tipos de configurações de acento, seguindo a mesma lógica).

latam-voo-australia-e1480960117751.jpg
Posicionamento das poltronas do Boeing 787 Dreamliner.

Quando a Ni me pediu onde eu queria sentar e eu disse: “No corredor, na fileira do meio.”

Acredite, existe uma ciência na escolha de assentos de um vôo. Segue abaixo a explicação:

Se você quer tranquilidade, espera que não tenha que se levantar no meio da noite para que outro passageiro vá ao banheiro, certo? Eu durmo muito mal em aviões, então espero que ninguem me acorde nas minhas já parcas horas de sono.

Além disso, também fico constrangido de ter que acordar as pessoas durante o vôo para ir ao banheiro, algo que fatalmente ocorrerá.

Se você está nas fileiras das janelas, tem 3 opções:

  1. Sentar-se ao lado da janela e ter que  passar por (ou incomodar) duas pessoas pelo menos para ir ao banheiro;
  2. Sentar-se entre a janela e o corredor e esperar que uma o incomode e incomodar a que está no corredor;
  3. Sentar no corredor, não incomodar ninguem, mas ser incomodado por duas pessoas.

Já se você ficar na fileira central, você tem duas possibilidades: ficar no meio ou no corredor. Se você ficar no corredor, você ainda tem, tecnicamente, 50% de chances de não ser incomodado por ninguém, e ainda ter livre acesso ao banheiro (fora que ainda pode esticar as pernas no corredor). E caso você seja grande e barbudo como eu, bem, a pessoa pensará duas vezes antes de incomodá-lo.

A não ser que seja uma criança chata. Ela não pediu para ir ao banheiro, mas passou a noite me dando coices enquanto dormia. Bem, o planejamento não pode prever tudo.

E foi aí que eu vi a necessidade de um bom entretenimento de bordo. Havia colocado várias horas de filmes e seriados do netflix no meu celular, comprado um power bank super hardcore para ter bateria o suficiente durante a viagem (fui supreendido com as tomadas de carregamento também no avião), para que eu pudesse passar as quase 12 horas de vôo com o mínimo de sofrimento possível, mas vi só um filme ali. Vi o primeiro capítulo de um seriado (muito legal po sinal – The Knick, com Clive Owen, que faz o papel de um médico viciado em cocaína), um filme ( a revolução do altruísmo, muito legal também) e Café Society, do Woody Allen. Dormi umas três horas e o resto do tempo ficou entre as refeições (e aqui preciso fazer uma ressalva: no jantar escolhi um ravioli que, infelizmente, estava todo grudado e crú) e o entretenimento de bordo.

Cheguei em Milão perto da uma hora da tarde. Uma meia hora para que as minhas malas pudessem passar na esteira e lá estava eu, Já na Itália.

Demora um pouco para cair a ficha. Tudo parece meio normal, ainda mais quando você vem de um lugar no Brasil com um clima semelhante. Nuvens, frio e um vento cortante.

Um amigo que vive em Schio, perto de Vicenza e que há mais ou menos um ano fez a mesma coisa que eu – mas sozinho – veio me dar as boas vindas.

Chegar em um lugar novo e dar de cara com um amigo é, acredito eu, a melhor forma de começar uma nova etapa na vida. Nada melhor para fazer você se sentir em casa. Alguém que possa lhe dar as primeiras dicas,  de como se locomover, como tratar as pessoas, etc.

Fui ao hotel tomar um banho e tirar o avião do corpo. E saímos para algumas horas de Milão.

No próximo post vou contar da minha experiência sobre o que eu fiz lá das 16h às 2h e quem sabe dar uma idéia do que fazer se você tiver um fim de tarde e uma noite em Milão.

3 Comentários

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*