Uma carta para o Pai da Olívia


Pai da Olívia

Já andávamos de mãos dadas há mais de uma década quando a nossa pequena Olívia nasceu e eu achava que te conhecia o bastante. Afinal, já havíamos vivido tantas coisas juntos que eu acreditava que nada em você poderia me surpreender. E então nasceu a Olívia e nosso mundo virou um caos. E levamos dias, semanas e meses para nos reorganizarmos como família. E eu vi um pai nascendo e crescendo ali na minha frente. É, eu vi você nascer como pai da Olívia. E foi lindo.

Um pai que não só fez tudo aquilo que todo pai deveria fazer: trocou fraldas, deu banho, embalou para dormir… Um pai que, de repente, se colocou em segundo plano para viver os encantos da paternidade. Um pai carinhoso e atencioso. Paciente e amoroso. Só faltava ser mais presente, mas era preciso trabalhar 13 horas por dia.

Então nós decidimos que era hora de mudarmos tudo e embarcamos na busca de um sonho. Deixamos tudo e todos no Brasil para poder dar para a Olívia um futuro melhor. Para sermos mais presentes no crescimento dela. E, finalmente, você pode ser, além de tudo o que eu já citei, um pai super presente. O pai que prepara as mamadeiras e senta no chão para desenhar esquilinho com a Olívia. O pai que corre com ela na rua e a balança no parquinho para que ela sinta o ventinho gostoso no rosto. O pai que mostra as estrelinhas no céu e conta a cada dia uma historinha diferente para ela dormir. E isso que eu escrevi aqui, é só um pedacinho de tudo o que você é como pai. O pai da nossa filha. O pai da Olívia.

Meu amor, tenho certeza que se a Olívia pudesse expressar em palavras o amor e a admiração que ela sente por você, ela faria e com certeza bem melhor que eu. Feliz Dia dos Pais, para o melhor pai que a Olívia poderia ter. Você tem sido ótimo, sempre!

Amamos você!!!

Ni e Olívia

Feliz dia dos Pais para todos os nossos leitores que são pais!

Feliz dia dos pais, especialmente, para o Guido e para o Higino, nossos amados pais que cuidam de nós desde sempre. Amamos vocês!

 

3 Comentários

  1. Olá Ni. Interessante ler esta carta ao pai da Olivia justamente no momento em que estou preocupada em poder estar presente na vida da minha filha quando me mudar para a Itália. Me mudarei próximo ano. Eu, meu esposo e minha filha de 6 anos. E justamente por não ter família, por ter que correr atrás e trabalharmos feito loucos para pagar as contas que estou preocupada na nossa presença junto à nossa pequena. Ouço dizerem que a vida aí não é uma correria, que teremos tempo para ela. Mas eu daqui penso; como teremos tempo se os dois terão que trabalhar feito loucos para pagar as contas…..
    Me conta aí, como finalmente seu esposo conseguiu estar presente só depois que chegou aí na Itália? Pq eu daqui estou preocupada em ser o contrário…..
    Um abraço!
    Viviane

    • Olá Viviane!
      Muito obrigada pelo comentário!
      Então, quando estávamos no Brasil, o Fabiano trabalhava 13 horas por dia, tinha 3 empregos. E como um deles era de professor universitário num curso noturno, tinha dias em que ele só via a Olívia de manhã e rapidinho no final da tarde (4 vezes por semana). E esse foi um dos motivos para embalarmos as coisas e nos mudarmos para cá. Estamos ainda testando um modelo de vida para sermos mais presentes, mas de qualquer maneira, como essa é uma das nossas prioridades, estamos fazendo de tudo para conseguir. E estamos conseguindo. Não se preocupe, aqui o ritmo é diferente, a vida é diferente.
      Boa sorte!
      Abraço,
      Ni

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*